Aluno 24/09/2015 - 16:54 - Fernanda Veloso / Governo do Tocantins

Peça de Teatro Zé leva poesia para o Auditório Tião Pinheiro

ZÉ - Fecoarte e Salão do Livro - Foto Emerson Silva - Cópia.JPG ZÉ - Fecoarte e Salão do Livro - Foto Emerson Silva - Cópia.JPG -
Diretor Nival Correia - Fecoarte e Salão do Livro - Foto Emerson Silva.JPG Diretor Nival Correia - Fecoarte e Salão do Livro - Foto Emerson Silva.JPG -
Fabrício Veríssimo -Fecoarte e Salão do Livro - Foto Emerson Silva.JPG Fabrício Veríssimo -Fecoarte e Salão do Livro - Foto Emerson Silva.JPG -

A poesia de José Gomes Sobrinho foi o fio condutor do espetáculo teatral Zé. A montagem foi produzida pelo Grupo teatral A Barraca Cia de Artes e foi apresentada na tarde desta quinta-feira, 24, no 9º Salão do Livro, no Auditório Tião Pinheiro.

De acordo com o diretor da peça, Nival Correia, Zé é uma homenagem a um dos grandes nomes da cultura tocantinense, José Gomes Sobrinho, que se revela por meio de seus versos e poesia, Nival ressaltou que “Um imortal não pode ser esquecido”.

A atriz Magda Carneiro, integrante do elenco, alegou que o espetáculo demorou quatro meses para ser montado, e foi tomando forma durante o trabalho de pesquisa realizado pelo grupo. “Todos nós envolvidos na peça, tivemos algum tipo de contato com José Gomes Sobrinho, sua poesia conta a história do povo que veio para o Tocantins. Não tínhamos ideia que iríamos chegar a esse formato de apresentação, a peça foi tomando forma durante o trabalho de pesquisa”, afirmou.

A montagem cênica trouxe diversos elementos da cultura mambembe, música e muita cultura popular tocantinese. O estudante de psicologia Fabrício Veríssimo, declarou que José Gomes Sobrinho sintetizou o Tocantins em seus versos. “Achei fantástica a montagem Zé, ela homenageia todos os Zés e Marias do nosso Tocantins, todos aqueles que construíram nosso estado” concluiu.

Compartilhe esta notícia