Home 29/08/2016 - 17:26 - Philipe Bastos / Governo do Tocantins

MEC premia iniciativas de combate ao Aedes aegypti e de fortalecimento da educação profissional

O Desafio Zika Zero faz parte das ações voltadas ao combate ao mosquito Aedes aegypti O Desafio Zika Zero faz parte das ações voltadas ao combate ao mosquito Aedes aegypti - Adilvan Nogueira / Governo do Tocantins

O Ministério da Educação (MEC) criou duas iniciativas que irão premiar propostas de alunos, professores e gestores educacionais. Abertos a partir desta segunda-feira, 29, o Desafio Educação Zika Zero e o Desafio da Educação Profissional e Tecnológica têm como objetivo a participação coletiva em ações de combate ao mosquito Aedes aegypti e no fortalecimento da educação profissional.

O canal para o encaminhamento de propostas e compartilhamento de ações são as plataformas dos desafios, disponibilizadas pelo MEC na internet. Os interessados em participar podem acessar a plataforma do Desafio da Educação Profissional e Tecnológica e a do Desafio Educação Zika Zero. Lá podem ser consultadas informações, relatos de ações já realizadas, além de fotos e vídeos compartilhados pelos participantes.

De acordo com o regulamento dos concursos, o MEC irá premiar as melhores ideias e experiências compartilhadas. Os prêmios podem chegar a R$ 2 mil, na categoria individual, e R$ 25 mil, na categoria de curso ou instituição indicada. Nessa última classificação, podem concorrer escolas públicas estaduais e municipais do país e cursos de graduação e técnicos de universidades federais e institutos federais de educação, ciência e tecnologia.

O gerente de Projetos Educacionais da Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), Júlio César da Rocha, destacou que o objetivo é aproveitar as ideias compartilhadas por meio da plataforma digital do Desafio Zika Zero para implementar ações pedagógicas permanentes para combate ao Aedes aegypti nas comunidades escolares.

“Os últimos dados apresentados mostram uma redução nos casos de zika vírus. O nosso desafio é manter essas ações e implementá-las no Projeto Político-Pedagógico (PPP) das escolas. Nós queremos que essas ações em parceria com as secretarias de Saúde sejam constantes, independentes de campanhas”, explicou o gerente que é membro do Comitê Estadual de Enfrentamento ao Aedes aegypti.

No concurso Desafio da Educação Profissional e Tecnológica, os inscritos podem contribuir com dez temas, que serão divididos em três rodadas, conforme o cronograma disposto em edital.

Na primeira rodada, os temas avaliados são:

• Construir mecanismos de integração entre o ensino médio e o ensino técnico e profissional.

• Encorajar o acesso, a permanência e o êxito de estudantes na educação profissional e tecnológica para inclusão socioprodutiva.

• Aprimorar a formação de professores e gestores do ensino profissional e tecnológico.

Na segunda rodada:

• Engajar o setor produtivo com a educação profissional e tecnológica.

• Construir currículos de cursos alinhados às necessidades do mundo de trabalho.

• Fortalecer o sistema de ensino profissional e tecnológico a distância

Na terceira rodada

• Impulsionar a captação e a aplicação de recursos destinados ao desenvolvimento de inovações tecnológicas para aprimoramento do ensino.

• Desenvolver métodos de avaliação de ensino e aprendizagem para a educação profissional e tecnológica.

• Construir estratégias de formação inovadoras que compatibilizem a formação cidadã com a inserção profissional do trabalhador.

• Construir práticas pedagógicas inovadoras em educação profissional e tecnológica.

No desafio Zika Zero, a plataforma recebe cadastro de ações e propostas a partir desta segunda, 29, até o dia 14 de setembro, às 16h. Já o Desafio da Educação Profissional e Tecnológica está aberto desde o último dia 25 de agosto e segue até o dia 25 de novembro.

 

 

 

Compartilhe esta notícia