Home 16/06/2017 - 16:30 - Núbia Daiana Mota

Estudantes da Escola Agrícola de Almas participam de aula prática sobre tipos de solos

O projeto pretende mostrar aos educandos a estrutura física e os horizontes presentes no solo O projeto pretende mostrar aos educandos a estrutura física e os horizontes presentes no solo - Divulgação DRE
O aluno Jackson Dias disse ter aprendido a identificar as camadas do solo O aluno Jackson Dias disse ter aprendido a identificar as camadas do solo - Divulgação DRE
A estudante Josiane Dias destacou as possibilidades de intervenção no solo para o plantio  A estudante Josiane Dias destacou as possibilidades de intervenção no solo para o plantio - Divulgação DRE
A professora Cleide Pereira explica aos alunos as diferenças entre os horizontes do solo A professora Cleide Pereira explica aos alunos as diferenças entre os horizontes do solo - Divulgação DRE

Os estudantes do Colégio Agrícola de Almas, localizado a 276 km de Palmas, participaram, nesta semana, de aulas práticas sobre os tipos de solo. A iniciativa visa potencializar o aprendizado sobre o cultivo da terra, seja na escola ou nas propriedades rurais onde vivem, além de capacitá-los para atuar profissionalmente na área da agricultura. Participaram da atividade, 34 alunos da 1ª série do Curso Técnico Agropecuário.

O projeto Conhecendo o Solo tem como objetivo mostrar aos educandos a estrutura física e os horizontes presentes no solo. Para que os alunos pudessem ver e manusear a terra, foram abertas trincheiras, tipo de escavação linear, em que eles puderam reconhecer as características morfológicas do solo onde está instalada a unidade de ensino.

“Essa atividade faz parte da matéria de Edafologia e Fertilidade do Solo e permite que os alunos compreendam como é feita a classificação do solo, quais são os horizontes e a diferenciação deles. Ter esse conhecimento é fundamental antes de trabalhar a terra, pois é possível fazer modificações benéficas no solo para ter melhores resultados no cultivo”, explicou a professora responsável pelo projeto, Cleide Pereira.  

Além de conhecer os solos, também estão em estudo as plantas forrageiras, geralmente, gramíneas e leguminosas usadas como fonte de alimento para os animais, como os pastos. Segundo a educadora, durante as aulas práticas serão analisados o desenvolvimento e capacidade de diversas espécies próprias para o cultivo no campo, bem como as limitações e potencialidades de cada tipo de solo.

O estudante Jackson Dias contou o que já aprendeu.  “Agora sabemos quais são as camadas existentes no solo e suas diferenças de composição. Essa aula nas trincheiras é bem diferente, porque permite você tocar, ver e identificar as diferenças de acordo com a coloração, compreender se tem mais ferro, mais rocha ou outros componentes”, relatou.

Para Josiane Dias, as possibilidades de intervenção no solo para obter melhores resultados no plantio, foi uma novidade. “Estamos aprendemos tudo sobre o perfil do solo. Nessa trincheira vimos três tipos diferentes de solo e vimos que faltava a parte orgânica. Fiquei surpresa ao perceber que essa camada pode ser facilmente construída e o quanto ela é importante para o cultivo. Agora sabemos que é preciso analisar bem o solo para ter um bom plantio”, destacou.

 

Compartilhe esta notícia