Home 12/01/2018 - 13:33 - Núbia Daiana Mota/Governo do Tocantins

Gestores das unidades de ensino integral ressaltam diferencial do modelo das Escolas Jovem em Ação

Estão participando cerca de 90 profissionais entre diretores, coordenadores e técnicos das Diretorias Regionais de Educação Estão participando cerca de 90 profissionais entre diretores, coordenadores e técnicos das Diretorias Regionais de Educação - Juliana Carneiro / Governo do Tocantins
Para Vanuza Oliveira o modelo Jovem em Ação irá colaborar para a qualidade do ensino na unidade escolar onde atua Para Vanuza Oliveira o modelo Jovem em Ação irá colaborar para a qualidade do ensino na unidade escolar onde atua - Juliana Carneiro / Governo do Tocantins
Josenilce Flores: Esse modelo de educação integral busca formar os estudantes para a vida por meio de uma formação acadêmica de excelência e incentivando-os a conquistar seus sonhos. Josenilce Flores: Esse modelo de educação integral busca formar os estudantes para a vida por meio de uma formação acadêmica de excelência e incentivando-os a conquistar seus sonhos. -

Diretores e coordenadores das 36 escolas da rede estadual que oferecem o ensino integral estão reunidos em Palmas, de 10 a 12 de janeiro, participando da formação inicial de 2018, realizada pela Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc) em parceria com o Instituto de Corresponsabilidade pela Educação (ICE). Até esta sexta-feira, 12, os profissionais irão aprofundar os conhecimentos relacionados às tecnologias de gestão educacional. 

Estão participando da capacitação, os gestores das 12 Escolas Jovem em Ação, que ofertam o ensino médio integral no Tocantins e os diretores das 24 unidades de ensino de tempo integral dos anos finais do ensino fundamental. A pauta da formação contempla estudos sobre os diferencias do Programa Jovem em Ação, como as disciplinas eletivas, as práticas experimentais, os clubes de protagonismo e os projetos de vida dos alunos.

“A forma de gestão é um dos diferenciais das escolas Jovem em Ação que está sendo oferecida também para os gestores das unidades escolares que ofertam o ensino integral para os anos finais do ensino fundamental. Hoje trabalhamos a operacionalização das tecnologias de gestão educacional e o macro planejamento. A expectativa da Seduc é que as equipes possam aperfeiçoar o trabalho q já vem sendo desenvolvido para que os nossos alunos tenham sucesso na aprendizagem e possam realizar seus sonhos por meio da Educação”, frisou a coordenadora do programa Jovem em Ação, Maristélia Alves.

Para a coordenadora pedagógica do Colégio Estadual Joana Batista Cordeiro, de Arraias, Josenilce Flores Martins, a capacitação contribuirá para melhorar os resultados da aprendizagem. “A formação veio para consolidar o trabalho que já vínhamos fazendo, aperfeiçoando nossa atuação profissional em busca do crescimento intelectual e pessoal dos nossos alunos. Esse modelo de educação integral busca formar os estudantes para a vida por meio de uma formação acadêmica de excelência e incentivando-os a conquistar seus sonhos”, disse.

De Fortaleza do Tabocão, a diretora da Escola Estadual Major Juvenal Pereira de Souza, Vanuza Santos Oliveira, diz que o aprendizado quanto ao modelo de gestão das Escolas Jovem em ação irá colaborar para a qualidade do ensino na unidade escolar onde atua. “O ensino integral foi um ganho para a comunidade, hoje não nos vemos trabalhando com outra modalidade que não seja essa. Queremos absorver esse conhecimento do modelo Jovem em Ação e levar para a nossa escola. São propostas focadas na aproximação da escola com o aluno, de oferecer não só o ensino, mas o acolhimento, o direcionamento e sobretudo, de estimular esses alunos a sonharem, mostrando para eles muitas possibilidades de um futuro promissor”, ressaltou.  

Escola Jovem em Ação

Escola Jovem em Ação é o nome dado, no Tocantins, ao programa federal de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio Integral. Em 2017, o Tocantins aderiu à iniciativa com 12 escolas da rede estadual de ensino. Para o ano de 2018, o objetivo é ampliar o número de escolas que oferecem esse modelo de ensino-aprendizagem.

O foco da Escola Jovem em Ação é o sucesso dos alunos por meio da melhoria no desempenho estudantil e da promoção do protagonismo juvenil entre os estudantes. O diferencial dessas escolas está nos componentes curriculares da parte diversificada: estudo orientado, projeto de vida e disciplinas eletivas, que interagem de forma interdisciplinar e que, no caso específico das disciplinas eletivas, esses componentes são adaptados para que os alunos possam escolher os temas com orientação do professor para ser trabalhado a cada semestre letivo.

 

 

 

Compartilhe esta notícia