Home 08/07/2019 - 15:11 - Fábio Almeida / Governo do Tocantins

Educação promove palestra sobre cultura africana para alunos do Curso de Formação em Magistério Indígena

Representante da Associação dos Filhos e Amigos da África no Brasil durante a palestra Representante da Associação dos Filhos e Amigos da África no Brasil durante a palestra - Seduc/Governo do Tocantins
Ariston Krahô, professor na Aldeia Santa Cruz, de Itacajá, durante o treinamento Ariston Krahô, professor na Aldeia Santa Cruz, de Itacajá, durante o treinamento - Seduc/Governo do Tocantins
Adolfo Pereira Borges e Maria de Lourdes Leoncio Macedo, professores da disciplina Fundamentos Antropológicos Adolfo Pereira Borges e Maria de Lourdes Leoncio Macedo, professores da disciplina Fundamentos Antropológicos - Seduc/Governo do Tocantins
Aires Panda, representante da AFA no Brasil Aires Panda, representante da AFA no Brasil - Seduc/Governo do Tocantins

Durante a 30ª etapa do Curso de Formação de Professores em Magistério Indígena, que é ofertado pela Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes (Seduc), foi realizada, na disciplina de Fundamentos Antropológicos, uma palestra sobre cultura Africana. A iniciativa tem como objetivo promover um intercâmbio cultural entre os povos indígenas e representantes da Associação dos Filhos e Amigos da África no Brasil (AFA). Danças, comidas típicas, dialetos e histórias familiares foram alguns dos assuntos abordados.

Para Maria de Lourdes Leoncio Macedo, historiadora, mestra em Educação e professora da disciplina, a atividade objetivou trabalhar antropologia cultural e física, promovendo uma troca intercultural. “É uma formação básica de antropologia, para que os professores indígenas tenham noção de discussão, de crítica, de vivência, e a partir disso, construir novos conhecimentos com os seus alunos”, disse.

O Angolano Aires Panda, vice-presidente da AFA e mestre em desenvolvimento regional, destacou que a diversidade foi o que chamou mais atenção. “Deu para perceber pelos nomes, que eles fazem questão de destacar de qual etnia fazem parte, reafirmando, assim, orgulho de seu povo, pois a cultura vai além dos seus hábitos e costumes”, ressaltou.

Ariston Krahô, que é professor na Aldeia Santa Cruz, localizada no município de Itacajá, disse que a palestra foi uma oportunidade para conhecer mais sobre o continente africano. “Eu só conhecia a África pelas aulas de história, participar dessa palestra me oportunizou identificar semelhanças entre o nosso povo e o deles. Estou ansioso para repassar todos esses conhecimentos para os meus alunos”, declarou.

Fundamentos Antropológicos

A disciplina Fundamentos Antropológicos foi ministrada entre os dias 2 e 5 deste mês, pela professora Maria de Lourdes Leoncio Macedo e pelo professor Adolfo Pereira Borges, contando com 16 cursistas dos povos Xerentes, Krahô, Apinajé e Javaé, que estão matriculados no Curso de Formação de Professores em Magistério Indígena. As aulas foram compostas por conteúdo teórico e com atividades práticas, como a palestra, levando os professores a refletirem sobre a sua cultura, e sobre a formação étnica do povo brasileiro.